Agendamento de consultas:

(11) 3845.5820

(11) 99972.7318 / 98790.5485 / 99972.5701

  • Instagram
  • Facebook
whatsapp.png
whatsapp.png
whatsapp.png

© 2019 por Clínica Franco e Rizzi

Hepatites

O fígado é o maior órgão do corpo humano, pesando ao redor de 2 Kg e é responsável por inúmeras funções metabólicas, sendo que sua falência maciça leva a morte.


Hepatite é toda e qualquer inflamação do fígado.

 

A principal causa de hepatite é a viral, sendo que existem 3 tipos de vírus da hepatite: A, B e C.


Os vírus entram na corrente sanguínea e tem atração pelas células do fígado onde se multiplicam e causam a morte da célula hepática. Após algumas semanas de invasão hepática os anticorpos entram em ação e geralmente eliminam os vírus do corpo e ocorre a regeneração do fígado em alguns meses sem sequelas.

Na grande maioria das vezes esse processo é silencioso, sendo que o paciente pode sentir apenas febre e diarreia, simulando uma simples intoxicação alimentar. Em 20% das vezes o paciente apresenta icterícia (amarelidão da pele e mucosas).
Em 1% dos casos a destruição das células do fígado ocorre de forma “muito intensa” e é chamada de hepatite fulminante causando falência hepática incompatível com a vida.

Em alguns casos de hepatite o vírus continua silenciosamente no corpo para sempre, causando a “hepatite viral crônica” podendo causar cirrose hepática e câncer do fígado.
O diagnóstico é laboratorial através da elevação das bilirrubinas diretas, das enzimas hepáticas (TGO-TGP-GGT), pela detecção de anticorpos de fase aguda (IgM) e da fase tardia (IgG) e pela detecção dos vírus no sangue.

O tratamento da hepatite viral aguda é basicamente o repouso físico e evitar alimentos gordurosos e ingestão alcoólica por 6 meses.

O tratamento da hepatite viral crônica é baseado em esquemas de drogas antivirais como Interferon e Ribaverina com bons resultados em 50% dos casos.

O vírus da Hepatite Tipo A é transmitido por contaminação oro fecal, ou seja, contaminação da água com a rede de esgotos, típica de países subdesenvolvidos. É mais comum em crianças e jovens. É importante isolar o paciente dos seus familiares para evitar a contaminação através de talheres ou uso de banheiro comum. Essa hepatite nunca se torna crônica. Existe vacina para prevenção da hepatite tipo A.

O vírus da Hepatite B é de transmissão sexual ou através de contaminação sanguínea (transfusões ou pelo uso comunitário de instrumentos perfuro cortantes). A prevenção é utilizar preservativos e materiais perfuro cortantes descartáveis (agulhas, material de manicure, tatuagem, depilação e odontológico). Esse tipo de hepatite torna-se crônica em 10% dos casos. Existe vacina eficaz contra a Hepatite B que deve ser repetida a cada 10 anos

A hepatite a vírus C ainda não é plenamente conhecida. Acredita-se que sua transmissão seja semelhante ao vírus do tipo B (porém com menor transmissão sexual). A Hepatite aguda por vírus C cronifica-se em 70% dos casos e por esse motivo é a grande responsável pelos casos de cirrose e câncer hepático pós-hepatite. O grande problema é que não existe vacina contra a Hepatite C. Estima-se que 3% da população mundial esteja contaminada. É considerada pela Organização Mundial de Saúde como o maior problema de saúde pública, é a maior causa de transplante hepático e transmite-se pelo sangue mais facilmente do que a AIDS.

Em resumo, devemos fazer a prevenção da hepatite através de vacinação contra as hepatites A e B. Precisamos estimular o uso de preservativos e materiais perfuro cortantes descartáveis. Devemos incluir nos exames de rotina a pesquisa de hepatites crônicas, pois quanto mais precoce for o início do tratamento antiviral melhores serão os resultados.